Tabela de honorários

A Lei Nº 5.194, de 24 de dezembro de1967, que “Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo” diz no seu Art. 83: Os trabalhos profissionais relativos a projetos não poderão ser sujeitos a concorrência de preço, devendo, quando for o caso, ser objeto de concurso. (Revogado pela Lei nº 8.666, de 21.6.93 – Lei de Licitações ( de obras públicas. Aliás, esta lei, além de desestimular a boa arquitetura pública no Brasil desde a sua criação, vem sendo objeto de inúmeros processos jurídicos por corrupção) .

A A+C Arquitetura entende que a remuneração por serviços prestados, incluindo neste caso praticamente a generalidade de serviços, não pode ser objeto de licitação de preços mínimos. Entende que aí se incluem serviços artísticos, técnicos ou nas áreas das outras ciências.

Não existe nenhuma forma de garantir que o serviço mais barato acabe produzindo o melhor resultado, ou seja, como o custo de qualquer produto final – pode ser uma obra civil ou um sistema de software ou uma sentença jurídica – é a soma do projeto (idéia, conceito) e da sua execução, o projeto mais “barato” nem sempre produz a obra “mais barata”. Sem considerar a avaliação de outros resultados, como qualidade e custo a médio e longo prazos. O projeto mais “barato” pode até produzir a obra mais “cara” a médio e longo prazo, não há nenhuma garantia prévia. Assim como em todas as atividades humanas de serviços, medicina, advocacia, tecnologia da informação, etc.

No entanto, isto não impede que possa ocorrer um critério rígido de análise de valores, currículo, experiências profissionais, que visem demonstrar a qualidade dos serviços oferecidos ao cliente, de acordo com a experiência anterior e, principalmente com o grau de satisfação dos clientes.Não é a toa que, apesar de toda a tecnologia e evolução do marketing, a grande referencia destes profissionais continua sendo o comentário pessoal, ou seja, o “boca –a- boca”.

A A+C tem consciência de que só e possível apresentar uma proposta de honorários de projeto após análise e reflexão do programa de necessidades, do terreno e do entorno, da expectativa de investimento e do sentimento do cliente em relação ao projeto. Quanto melhor o cliente puder traduzir a expectativa dele, melhor o resultado do projeto de arquitetura. Sim, porque um bom projeto não depende somente do arquiteto, mas depende da participação e interação com o cliente.

Resumindo, o que importa em qualquer investimento é o seu resultado, advindo do custo - beneficio. A interferência do “preço” de um projeto de arquitetura é mínima em relação ao montante do investimento necessário na obra. Todavia, a qualidade criativa e técnica é “máxima” no resultado final da obra/investimento, o que a A+C procura valorizar e comprovar em inúmeros projetos implantados com êxito, em décadas de experiência.

Seguir critérios profissionais e éticos na valorização do ser humano em sua interação com os projetos arquitetônicos é a meta perseguida pela A+C Arquitetura, que procura não se deixar seduzir por soluções simplistas de custos em relação à sua criação. O valor do projeto precisa ser justo para ambas as partes, e é este o maior objetivo da A+C, que apresenta propostas de serviços sem nenhum custo e sem nenhum compromisso, sempre após uma reunião preliminar com o futuro cliente. O cliente tem toda a liberdade de escolha e decisão.

A satisfação da A+C em um projeto não se encerra na sua contratação, mas apenas na sua conclusão. Isto se o cliente estiver satisfeito da mesma forma.